quinta-feira, 2 de junho de 2016

Médico ressalta a importância de alguns hábitos para quem quer parar de fumar


31 de maio é o Dia Mundial de Luta Contra o Tabaco. Segundo pesquisas da OMS (Organização Mundial da Saúde), no Brasil existem 27,9 milhões de fumantes, consumindo 110 bilhões de cigarros por ano, acrescidos de 48 bilhões procedentes de contrabando. Além disso, no país são registrados cerca de 200 mil óbitos por ano, por conta desse vício.

“O tabagismo deve ser entendido como uma doença crônica, devido à dependência da droga nicotina, e, portanto, todos os fumantes devem ser orientados a deixar de fumar por profissionais de saúde. Pesquisas mostram que cerca de 80% dos fumantes desejam parar de fumar, porém apenas 3% conseguem a cada ano”, explica Carlos Gazanego, médico de Família e Comunidade, que atua no posto Boa Vista, unidade gerida pela FMP/Fase.

O médico ressalta que ao tomar a decisão de parar de fumar, a pessoa precisa entender o comportamento do organismo, pois ao não receber a droga, ele irá ter reações muito fortes, especialmente nos primeiros dias, o que leva muitas pessoas a desistir de largar o vício.

“As toxinas do cigarro permanecem por alguns dias ainda no organismo, por isso é essencial que o ex-fumante beba muita água, para desintoxicar. Na dieta, também é importante acrescentar frutas e sucos desintoxicantes, como a maçã, o abacaxi, a laranja, o limão etc. Várias plantas medicinais podem ajudar a aliviar a tensão, o estresse e a depressão em pessoas que querem parar de fumar”, destaca o médico.

A vontade de fumar ("fissura") não dura mais que cinco minutos. Nesses momentos, para ajudar a aliviar o desejo, é aconselhável chupar gelo, comer gengibre, cravo, goma, balas de mentol ou hortelã, escovar os dentes, beber água gelada ou comer uma fruta. Importante, ainda, praticar técnicas de relaxamento e exercícios respiratórios. Além disso, manter as mãos ocupadas com um elástico, pedaço de papel, manusear objetos pequenos e não ficar parado são dicas importantes para vencer essa etapa de largar o vício.


“O cigarro é um fator de risco para doenças coronarianas. Desta forma, quem fuma há muito tempo e resolve praticar atividades físicas pode ficar exposto ao risco de um infarto. Para começar a fazer atividade física, o fumante deve primeiro fazer um check-up cardiovascular e pulmonar. Nesse sentido, para a prática de atividade física trazer benefícios significativos à saúde é necessário que ela não esteja associada ao hábito de fumar. O ideal é praticar exercícios pelo menos durante 30 minutos, todos os dias, ou 1 hora e meia, três vezes por semana”, alerta o médico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Departamento de Comunicação Faculdade Arthur Sá Earp Neto e Faculdade de Medicina de Petrópolis