sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Aluna de Administração apresenta TCC sobre a Inclusão de Pessoas com Deficiência na FMP/Fase

A aluna Bianca Igreja, do curso de Administração, escolheu como tema de seu trabalho de conclusão de curso (TCC) a Inclusão de Pessoas com Deficiência nas Organizações, tendo como objeto de estudo a FMP/Fase.

“Inicialmente, na minha monografia eu falava sobre um outro tema completamente diferente. Foi quando, na sala de aula, discutimos certa vez sobre o tema ‘inclusão e gestão da diversidade’ e sobre como crescem cada vez mais as exigências legais e sociais para as empresas. Foi aí que me despertou o interesse, enquanto futura administradora, de saber como verdadeiramente as organizações estão se portando mediante essas exigências e essa nova força de trabalho. Escolhi a FMP/Fase pois durante os cinco anos em que a frequentei sempre me chamou muita atenção a estrutura física acessível que a instituição possui, quando comparada a outras instituições que já frequentei, como por exemplo os banheiros para deficientes em todos os andares dos prédios, mas principalmente, me chamou atenção ver tantos funcionários com deficiência transitando pelos corredores da faculdade”, comenta Bianca.

Esq. p/ dir.: Ana Auler, Bianca Igreja, Rodrigo Lopes, Luciene Baptista e Ana Carolina Chaves.


Para que todos se sintam igualmente incluídos – funcionários, alunos e visitantes – a FMP/Fase vem investindo ao longo dos últimos anos em medidas que visam proporcionar, além da acessibilidade arquitetônica, a acessibilidade pedagógica, atitudinal, digital e das comunicações. No site da faculdade, que é acessível em Libras – Língua Brasileira de Sinais –, é possível conferir todas as ações de acessibilidade promovidas pela instituição e fazer o download de uma cartilha com orientações sobre o assunto: www.fmpfase.edu.br/univ/acessibilidade

A banca examinadora do TCC foi composta pelos professores Luciene Lopes Baptista e Rodrigo Antônio Alves Lopes, que concederam nota 10 ao trabalho. Além deles, também estavam presentes a orientadora, professora Ana Maria Auler, e a coorientadora, Ana Carolina de Sá Earp Chaves, que é membro da Comissão de Acessibilidade da FMP/Fase.

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Workshop Social da Fase destaca inclusão digital para a terceira idade

Um grupo de estudantes do curso de Administração da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) promoveu, no dia 19 de novembro, o V Workshop Social, desta vez com uma atividade voltada para apoiar pessoas com 50 anos ou mais na conexão com as redes sociais e o mundo da tecnologia digital. O projeto intitulado +Conexão buscou a integração com a Universidade Aberta com a Terceira Idade (UnatiFase).




“É um projeto muito interessante, que surgiu do encontro feliz entre o curso de Administração e a UnatiFase, com a ideia não só de promover a inclusão digital dos idosos no universo da internet, onde eles puderam aprender desde a criação de um e-mail, como envio de mensagens, navegar nas redes sociais, mas também proporcionar uma troca de comunicação entre diferentes gerações. A gente espera que seja apenas o início de várias propostas para incluir as diversas gerações”, destaca Luciene Baptista, professora responsável pela Universidade Aberta com a Terceira Idade da FMP/Fase. 

Após passar pelo treinamento no laboratório de informática da Fase, com os alunos do projeto de Marketing Social +Conexão, o grupo de idosos também deixou alguns ensinamentos para os acadêmicos. “Foi muito difícil. Eu comecei devagar. Não sabia nem ligar e desligar o computador. Só conseguia fazer algumas coisas no celular. Agora, já estou conseguindo mexer um pouco no computador, consegui pegar algumas receitas de bolo. Eu gostei muito dessa oficina e da interação dos alunos com a gente”, comenta Neusa Maria Netto, aposentada de 72 anos.

“Foi uma experiência muito diferente de troca. Eu ensinei o que para mim é normal, alguns vocabulários que eu uso no dia a dia e eles não entendiam, então precisei explicar, porque para mim é tão simples, mas para quem não está habituado realmente não sabe o significado. E em troca, recebi muito aprendizado em relação à experiência de vida de cada um. Coisas que eles passaram, até mesmo por conta da idade, e que eu nem imaginava. Então, vou levar como ensinamento para a vida toda”, revela Thiago Amaral Carneiro, aluno do 5º período de Administração. 

Para orientar os idosos, os alunos do curso de Administração da Fase desenvolveram um manual contendo instruções básicas sobre o acesso à internet, como usar o navegador de busca, como entrar nas redes sociais, fazer publicações, postar fotos, fazer comentários, coisas mais rotineiras de um internauta ativo. 

“Para ser sincera eu gostei muito desses quatro encontros. Já participo aqui da academia da terceira idade e surgiu essa oportunidade da oficina de tecnologia. Eu gosto muito de mexer com essas novidades na área digital, então fiquei muito empolgada para conhecer mais. Eu assisto filmes, pego receitas na internet, me comunico nas redes sociais com amigos e familiares, aproveito bastante. Não é todo mundo que tem uma pessoa da família disponível em casa e com paciência para ensinar a usar as redes sociais. Então, esse curso me ajudou muito a esclarecer algumas dúvidas e estou feliz por estar interagindo com outras pessoas”, frisa Maria Penha Costa, aposentada de 70 anos. 

O resgate de sonhos e o estímulo à produção de obras de arte também são diferenciais do workshop social promovido pela Fase. “É muito interessante ver as pessoas gostando de algo que você produziu. Procuro passar paz nas minhas pinceladas, mais tranquilidade, com paisagens agradáveis. Meu objetivo é proporcionar bem-estar às pessoas ao contemplarem a minha arte”, explica o artista Luiz Antônio Loreto. 

E para os envolvidos no projeto, não há como expressar a gratidão e o carinho ao analisar os resultados produtivos do trabalho realizado em equipe. “Quanto mais conectado, interagindo dentro desse mundo digital, mais essas pessoas conseguem ter a chance de não ficar tão suscetíveis às doenças, estimulando hábitos mais saudáveis de convivência e também a prática de atividades físicas. Nessa edição, a gente acabou integrando com o projeto do semestre passado, que foi da comunidade terapêutica e que gerou um resultado fantástico com a produção do artista Luiz. É muito bom perceber que uma pessoa que tinha desistido de trabalhar a sua arte conseguiu reagir, se recuperar e voltar a pintar. Então, aproveitamos para fazer a rifa desses quadros, para gerar recursos e possibilitar que ele continue pintando. Percebo que a ideia de fazer os alunos sentirem que a prática agrega muitos valores ao conhecimento teórico gera resultados tão positivos, que não dá nem para mensurar”, finaliza Mônica Fontes, professora da disciplina de Marketing Social da FMP/Fase.

FMP/Fase oferece cursos de pós-graduação em Alergia e Imunologia Clínica e Dermatologia

A Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) está com processo seletivo aberto para preenchimento de vagas para os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu em Alergia e Imunologia Clínica e em Dermatologia, para o período letivo de 2020.

Os dois cursos serão realizados pela FMP/Fase em parceria com o Comando do Exército Brasileiro, tendo o Hospital Central do Exército (HCE) como Órgão de Execução, onde serão realizadas as atividades por se tratar de Serviço de Alergia e Imunologia Clínica credenciado pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia – ASBAI para ensino e pesquisa e de Centro de Serviço Dermatológico credenciado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD.

No total, estão sendo oferecidas 10 (dez) vagas para a turma de Pós-Graduação Lato Sensu em Alergia e Imunologia Clínica e o total de 05 (cinco) vagas para a turma de Pós-Graduação Lato Sensu em Dermatologia.

As vagas para o curso de Pós-graduação Lato Sensu em Alergia e Imunologia Clínica destinam-se, exclusivamente, a graduados em Medicina provenientes de cursos superiores reconhecidos pelo Ministério da Educação, que tenham concluído programas de residência médica ou pós-graduação lato sensu com carga horária mínima de 2.000 horas, em Pediatria, Clínica Médica, Medicina de Família e Comunidade ou em especialidades afins. O curso tem duração de dois anos, com o mínimo de 30 horas semanais.

Credenciado pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia – ASBAI, o curso oferece treinamento em serviço supervisionado por preceptores em todas as atividades práticas: ambulatórios de alergia geral, testes imunoalérgicos, imunoterapia, procedimentos especiais com imunobiológicos, testes de provocação e dessensibilização, e estágios em especialidades afins.

Já o curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Dermatologia se desenvolve em 3 (três) anos consecutivos, com o mínimo de 40 horas semanais, em cumprimento ao que prevê o Regimento da Comissão de Ensino da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Credenciado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia para ensino e pesquisa na área, o curso oferece atendimento supervisionado nos ambulatórios das subespecialidades e na enfermaria de dermatologia do Hospital Central do Exército/RJ. O curso conta com corpo docente de grande experiência no ensino dermatológico nacional e prepara os médicos para o concurso de obtenção do título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Os interessados devem fazer as inscrições on-line, que estarão disponíveis até o dia 13 de dezembro de 2019, no site: www.fmpfase.edu.br, onde também é possível ter acesso aos editais dos cursos. As aulas estão previstas para terem início no dia 02 de março de 2020. 

Castanha do Pará é utilizada como matéria-prima para produção de cerveja

Tipicamente brasileira, a castanha do Pará, além de saborosa, é um alimento que proporciona muitos benefícios à saúde. Também conhecida em outros países como castanha do Brasil, é a semente da castanheira do Pará, uma árvore típica da floresta Amazônica, que pode alcançar até 60 metros de atura. Em Petrópolis, a iguaria serviu de matéria-prima para produção de uma das bebidas mais amadas pelos brasileiros, a cerveja. O grupo de alunas do curso de Nutrição da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase), que decidiu colocar a semente na receita, destaca os benefícios que o produto artesanal oferece ao organismo.



“A ideia da castanha do Pará surgiu pelo fato de ela ser rica em antioxidantes, anti-inflamatórios, selênio, ômega 9, fósforo, magnésio e potássio. É preciso fazer o consumo consciente da cerveja, mas a nossa tem um diferencial do manejo artesanal e por ser composta por maltes selecionados e a castanha, que deixa o sabor mais sofisticado. Escolhemos uma cerveja belga por conta de toda a sua sofisticação e a castanha unida aos quatro tipos de maltes que nós usamos harmonizam com pratos de peixes e carnes”, explica Nicole Telles, aluna do 4º período de Nutrição da FMP/Fase.

A ideia de produzir a cerveja surgiu com a proposta do trabalho acadêmico que precisa ser entregue durante o quarto período do curso de Nutrição da Fase, chamado PCI (Programa Curricular Integrado), que neste semestre apresentou o tema Culinária de Petrópolis.

“Escolhemos a cerveja por estarmos na cidade capital estadual da cerveja. Até mesmo por conta de todos os eventos voltados para a rota cervejeira. Então, como estávamos focadas em trazer a cerveja e também um produto brasileiro, entramos em contato com a cervejaria Duranz que abraçou a nossa ideia. Participamos de cada etapa do processo de produção na fábrica e foi uma experiência única”, comenta Letícia Alves, aluna do 4º período de Nutrição da FMP/Fase.

O trabalho realizado pelas acadêmicas envolve cinco disciplinas do curso de graduação: PCI, Marketing, Bromatologia, técnica dietética e nutrição do adulto. Com o produto pronto, agora está na hora de entrar na fase de experimentação para ser inserido no mercado.

“Foi muito interessante receber as alunas de Nutrição da Fase na nossa fábrica. A receita foi escolhida de comum acordo por todos nós. Petrópolis tem essa vocação de produção da cerveja artesanal e estar recebendo alunos do meio acadêmico é um ganho mútuo. Já provamos e ficou bem interessante o sabor”, ressalta Ricardo Branco, empresário da cervejaria Dr. Duranz.

Diante de tantas novidades para as alunas do grupo, que ficaram encantadas com a produção da cerveja, a professora responsável pela atividade destacou a importância pedagógica de colocar os conhecimentos adquiridos em sala de aula na prática.

“A atividade integrada com metodologia ativa, onde o aluno tem a oportunidade de criar e elaborar, pensar e fazer realmente acontecer, faz total diferença na vida profissional. Quero agradecer a parceria da cervejaria com a instituição de ensino, pois essa atividade abre as portas de integração entre o mercado de trabalho e os futuros profissionais que estão se formando na área de Nutrição”, finaliza Cristiane Mello, professora do curso de Nutrição da FMP/Fase, responsável pela atividade. 


FMP/Fase abre concurso para Residência na área da saúde em Petrópolis

Com 60 vagas, o concurso de seleção para Programas de Residências Médica, Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase) terá as inscrições abertas de 14 de novembro a 13 de dezembro de 2019. Serão oferecidas 45 vagas para Residência Médica, 09 para Residência Multiprofissional em Atenção Básica e 06 para Residência em Área Profissional da Saúde, voltada para a Enfermagem. Os selecionados receberão bolsa auxílio do Governo Federal ou Municipal. O valor é estabelecido pelos Ministérios da Educação e da Saúde.

Os programas de Residência Médica englobam as seguintes especialidades: Medicina de Família e Comunidade (12), Clínica Médica (6), Pediatria (5), Anestesiologia (4), Obstetrícia e Ginecologia (4), Radiologia e Diagnóstico por Imagem (3), Pré-requisito em Área Cirúrgica Básica (2), Neonatologia (2), Endoscopia (2), Cirurgia Geral (1), Urologia (1), além de outras três vagas para Radiologia e Diagnóstico por Imagem - Ano adicional.

O Programa de Residência Multiprofissional em Atenção Básica oferece nove vagas ao todo, sendo 5 para enfermeiros, 2 para psicólogos e 2 para nutricionistas. Já o Programa de Residência em Área Profissional da Saúde reúne a Enfermagem em Terapia Intensiva, que dispõe de quatro vagas, enquanto a Enfermagem Obstétrica tem duas.
 
A seleção consiste em prova objetiva, que será aplicada no dia 10 de janeiro de 2020, em Petrópolis, e análise de currículo. As atividades começarão no dia 02 de março, no Hospital de Ensino Alcides Carneiro, no campus da faculdade e nos serviços conveniados, como: Hospital Federal de Bonsucesso, Hospital Universitário Antônio Pedro, Inca, Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (IECAC), Centros de Atenção Psicossocial, Unidades de Saúde da Família, dentre outras instituições.

Todos os Programas de Residência da FMP/Fase estão integrados ao Pró-Residência do Ministério da Educação e do Ministério da Saúde e contam com 10% a 20% de aulas teórico-práticas e 80% da carga horária em treinamento em serviço. As inscrições para o concurso devem ser feitas no site: www.fmpfase.edu.br, onde é possível ter acesso aos editais e outras informações sobre as provas.

MEC concede novamente nota máxima de qualidade à Fase

Com mais de 20 anos de tradição, a Fase valoriza e reconhece a formação humanizada de excelência nas áreas de saúde e gestão.

Quando o assunto é alcançar o patamar máximo de qualidade estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC), que avalia as instituições de ensino superior do Brasil, a Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) se destaca como uma das melhores instituições do interior do estado do Rio de Janeiro. O recente parecer da comissão avaliadora do MEC, que visitou as instalações da faculdade em outubro, concedeu mais uma vez a nota máxima à Fase, conceito 5, uma façanha obtida por poucas unidades de ensino superior. 

“O compromisso com a qualidade acadêmica se reflete na excepcional performance da Fase nos processos de avaliação do MEC, obtendo nota máxima novamente no Conceito Institucional. Nossa missão é oferecer aos nossos alunos um processo educacional de excelência, que permita o desenvolvimento de talentos profissionais e pessoais”, comenta Maria Isabel de Sá Earp de Resende Chaves, supervisora geral da FMP/Fase. 

Há mais de duas décadas, a Fase forma profissionais que se destacam aonde quer que exerçam suas atividades, em razão da sólida formação que recebem. A parceria da faculdade com renomadas instituições nacionais e internacionais garante um amplo campo de estudos, valorizando também os acadêmicos que desejam se dedicar à pesquisa. 

Os amplos laboratórios da faculdade estimulam o desenvolvimento de pesquisas em diversas áreas do conhecimento.

Outro destaque da instituição em 2019 foi a conquista, pela terceira vez consecutiva, da nota máxima no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) pelo curso de Administração, que se posiciona entre os melhores do Brasil, na avaliação do MEC.

A FMP/Fase vem acumulando notas máximas ao longo dos anos. Em 2018, a instituição recebeu o conceito 5 para a oferta de cursos de graduação e pós-graduação a distância, devido à qualidade de sua infraestrutura de EAD. Em 2017, a Faculdade de Medicina de Petrópolis também obteve sua nota 5 em avaliação institucional realizada pelo MEC, mantendo o conceito de excelência desde 2009.

Além da formação sólida, a instituição oferece a dinamização da formação profissional através do estímulo ao envolvimento em projetos de extensão, culturais e de inserção comunitária, fortalecendo o vínculo e a responsabilidade socioambiental do estudante. Os alunos são inseridos na rotina de atendimentos em Unidades de Saúde da Família próprias da instituição e que fazem parte da rede pública de saúde, além do Hospital de Ensino Alcides Carneiro, que é referência em qualidade de atendimento na Região Serrana do estado do Rio de Janeiro, o Departamento de Doenças Infectoparasitárias (DIP), e o Ambulatório Escola com amplo espaço assistencial. 

Com modernas instalações, em um local privilegiado, o Campus Parque é cercado pela natureza e conta com múltiplos cenários de aprendizagem prática. O objetivo é fazer com que os estudantes tenham, além de um ensino diferenciado, qualidade de vida universitária. A faculdade ainda possui um Centro de Simulação Realística, onde os estudantes da área de saúde vivenciam as situações e os desafios do dia a dia de uma unidade hospitalar. 

Desde 2015, os estudantes da FMP/Fase fazem intercâmbios em diversos países. A instituição também começou a receber alunos do exterior, vindos de países como México, Croácia e Holanda. Além disso, iniciou uma parceria para mobilidade estudantil com a Universidade Nacional de Quilmes, na Argentina.

Totalmente informatizada, a biblioteca da FMP/Fase conta com um acervo superior a 27 mil exemplares de livros, revistas e periódicos impressos e digitais.

“Nossa instituição vê com muito bons olhos o intercâmbio com outras entidades de Ensino Superior, tanto de alunos quanto de professores. O grupo que veio em janeiro deixou expresso que o que mais os encantou foi o carinho e a receptividade que tiveram dos professores. Destacaram também a alegria dos nossos alunos em integrá-los à vida acadêmica e social. Para o próximo ano, a FMP/Fase planeja estreitar sua parceria com outras universidades nacionais e internacionais”, ressalta o coordenador geral de Ensino, Abílio Aranha. 

Comprometida com a valorização do ser humano e com a excelência do ensino, com ênfase em modernas práticas pedagógicas, a Fase oferece formação nas áreas de Administração, Bacharelado em Enfermagem, Licenciatura em Enfermagem, Nutrição, Psicologia, Odontologia e cursos superiores de tecnologia em Radiologia, Gestão de Recursos Humanos e Gestão Pública.

Frisando a importância da democratização do saber e o compromisso de garantir que todos tenham acesso ao ensino superior de qualidade, a Fase disponibiliza diferentes formas para facilitar o ingresso dos candidatos em seus cursos. O próximo vestibular será no dia 19 de janeiro de 2020 e já está com inscrições abertas. Estão sendo oferecidas bolsas de até 50% de desconto. Outras informações estão disponíveis no site: www.fmpfase.edu.br ou pelos telefones: (24) 2244-6471 e WhatsApp (24) 9 8865-0693.

Fase recebe credenciamento do MEC para oferecer cursos superiores a distância

Há mais de vinte anos oferecendo formação de excelência na cidade de Petrópolis, a Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) está entre as instituições de ensino superior mais conceituadas do Estado, sendo uma referência na Região Serrana. Recentemente, a Fase recebeu novamente a comissão do Ministério da Educação em seu campus e manteve a avaliação com nota máxima, comprovando ser uma instituição de ensino superior 5 estrelas. 

A novidade é que o Ministério da Educação (MEC) credenciou a Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) para que possa oferecer cursos superiores também na modalidade a distância. Seguindo a tendência do mercado, a instituição acredita que o conteúdo on-line vai oferecer aos estudantes capacidade teórica para aprofundar os conhecimentos nas áreas de interesse, com a facilidade de gerenciar o tempo que será dedicado aos estudos. 
“Fomos credenciados para oferta de cursos superiores a distância, graduação e pós-graduação. Já oferecemos algumas unidades curriculares com carga horária a distância nos cursos de graduação e alguns cursos de extensão. Recebemos elogios principalmente no que diz respeito à infraestrutura para educação a distância, como o ambiente virtual de aprendizagem, à formação de professores para atuação na mediação pedagógica a distância e ao corpo docente. Nós temos um grupo de seis professores que compõem o Núcleo de Educação a Distância, pesquisando novas tendências e planejando ações a serem implementadas na FMP/Fase”, explica Ana Maria Rodrigues dos Santos, coordenadora de Educação a Distância, Pesquisa e Pós-Graduação da FMP/Fase. 

Desde a implantação da Coordenação de Educação a Distância, em abril de 2016, foram realizadas diversas oficinas para o desenvolvimento dos professores com temas ligados à tecnologia na educação, em parceria com o Núcleo Pedagógico da faculdade. No início do ano passado, o novo ambiente virtual de aprendizagem da FMP/Fase foi implementado, o que garantiu evolução na parte da educação a distância. 

“Com a adoção do Moodle [plataforma digital], em todos os semestres, inserimos novas funcionalidades, como acessibilidade para deficientes visuais e jogos. Gravamos videoaulas para cursos de extensão, graduação e pós-graduação e realizamos curso de Formação em Mediação Pedagógica na Modalidade a Distância, tendo finalizado oito turmas, com duas em andamento. A primeira pós-graduação totalmente a distância - Alergia e Intolerâncias Alimentares -, que teve início em outubro deste ano, já conta com as videoaulas, gamificação, podcasts, webconferência, fóruns e outras funcionalidades disponíveis no ambiente virtual de aprendizagem. Além disso, alguns cursos semipresenciais de pós-graduação, como o de Perícia Médica e o MBA em Gestão de Projetos, fazem uso dessas funcionalidades”, destaca.

As atividades na modalidade a distância também garantiram a apresentação de três trabalhos no 25º CIAED - Congresso Internacional ABED de Educação a Distância 2019, sobre experiências do uso de EAD na FMP/Fase - "Nova forma de aprender dermatologia: oportunidade de inovação a partir da reforma curricular na graduação de medicina"; "Formação de professores para atuação em educação a distância: experiência em uma instituição de ensino superior com foco em saúde e gestão" e "Metodologia da pesquisa científica na modalidade híbrida: uma experiência de integração entre cursos da saúde".

“Estamos organizando um Núcleo de Inovação em Tecnologia na Educação com a participação de professores de diversos cursos, a fim de apoiarmos o uso da tecnologia em atividades presenciais e a distância. Também estudamos a viabilidade de utilização de realidade aumentada e temos como proposta ampliar o uso de realidade virtual. Além disso, continuaremos oferecendo cursos para os professores e implantando funcionalidades no ambiente virtual de aprendizagem. Com essa ferramenta, pretendemos ampliar o uso da modalidade a distância nos cursos de graduação”, finaliza Ana Maria Rodrigues dos Santos.

Professor Emérito


Na noite de ontem(27), o médico Guillermo Lopez Lopez recebeu o título de Professor Emérito da Faculdade de Medicina de Petrópolis/Faculdade Arthur Sá Earp Neto, em solenidade realizada no Campus da faculdade. O professor, que ocupa a titularidade da cadeira de Clínica Médica e já foi diretor da FMP, recebeu homenagens de colegas de profissão e ex-alunos que conviveram com ele nos mais de 44 anos de serviços prestados à FMP/Fase.

O coordenador geral de Ensino, Abílio Aranha, o diretor da FMP, Paulo Cesar Guimarães, a supervisora geral da FMP/Fase, o professor homenageado, Guillermo Lopez Lopez, e o coordenador de Projetos e Extensão, Ricardo Tammela.

Nesse período, Guillermo desempenhou importantes missões, as quais merecem destaque a transformação do Hospital Alcides Carneiro em hospital geral, organizando os serviços de Maternidade e Pediatra e readequando os serviços de cirurgia, e também foi responsável pela organização do Ambulatório Escola da faculdade, em Cascatinha, e de suas Unidades de Saúde da Família.


 










A solenidade de outorga do título de Professor Emérito a Guillermo Lopez Lopez contou com a presença do reitor da UCP, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa.



Apresentação do Coral Dó-Ré-Mi.


A Residência Médica e a atenção à saúde no município

Miguel Koury Filho, coordenador dos Programas de Residência Médica da FMP/Fase.

A Residência Médica é considerada, hoje, como a melhor forma de especialização do médico após sua graduação. Surgida no Brasil, no final da década de 1970, a Residência Médica é um curso de pós-graduação que se caracteriza essencialmente pelo treinamento em serviço, ou seja, o médico aprende enquanto atua sob supervisão de médicos mais experientes, porém dentro de um ambiente de academicismo, aproximando a academia e a assistência. Tem como essência a imersão dos residentes em serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), capacitando-os para o trabalho nestes serviços ao final de seus cursos.

De acordo com pesquisa feita pelo Observatório de Recursos Humanos da Secretaria Estadual de Saúde do Estado de São Paulo, a Residência Médica é o principal fator de fixação de um médico em um município, com média de 80% de permanência do residente no local onde realiza sua pós-graduação. Além disso, o médico que realiza sua residência num serviço do SUS, ao se empenhar para a obtenção do título de especialista, ajuda a desenvolver o sistema de saúde pública e a qualidade de vida da população que atende.

Após a curta existência de um único Programa de Infectologia, em Petrópolis, na década de 1980, foi no início dos anos 2000 que os Programas de Residência Médica voltaram com toda força em uma parceria entre a Faculdade de Medicina de Petrópolis, a Secretaria Municipal de Saúde e o Hospital de Ensino Alcides Carneiro. Inicialmente nas áreas de Clínica Médica, Pediatria e Ginecologia e Obstetrícia, logo foram agregados os programas de Cirurgia Geral e Medicina de Família e Comunidade e, com o advento do programa de incentivo à Residência Médica, do Ministério da Saúde, o número de programas e vagas foi aumentando. Hoje, além dos mencionados, conta-se ainda com programas nas áreas de Neonatologia, Anestesiologia, Endoscopia e Radiologia e Diagnóstico por Imagem, além do programa de Urologia, com início previsto para 2020. Desde 2014, a cidade conta também com os programas de Residência Médica do Hospital Santa Teresa, cujo processo seletivo ocorrerá este ano em parceria com a Faculdade de Medicina de Petrópolis/Fase, para os programas de Cardiologia, Cirurgia Geral, Ortopedia e Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

A cada ano, são quase 50 novos médicos atuando na rede SUS durante sua capacitação, auxiliando no atendimento à população do município e que, ao final de seus cursos, estarão especializados, treinados e capacitados para seguir na atenção à saúde dos usuários. Com isso, amplia-se a quantidade e se assegura o avanço na qualidade do atendimento à população.

Hiperidrose

Um estudo multicêntrico envolvendo a FMP/Fase e outras duas instituições de ensino superior analisou a prevalência de hiperidrose (transpiração excessiva) nos estudantes de Medicina do estado do Rio de Janeiro. O trabalho, publicado recentemente na revista científica Plos One, de reconhecimento internacional, identificou que a prevalência de HP entre os estudantes, tanto do sexo feminino quanto masculino, foi de 20,56%, apresentando-se de forma predominante nas axilas, palmas das mãos e plantas dos pés. Outras características identificadas foram o forte histórico familiar associado à doença, com incidência antes dos 18 anos de idade e algum grau de comprometimento da qualidade de vida. O estudo é considerado, hoje, um dos 10 maiores do mundo, em termos de número de entrevistados.

Na foto, o médico Pedro Guimarães Rocha Lima, professor licenciado da FMP/Fase, e a professora Maria Ribeiro Santos Morard, chefe da Divisão de Cirurgia Torácica do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle/Unirio, integrantes do projeto.

A Atenção Primária precisa de você!


Julia Barban Morelli
Médica de Família e Comunidade na USF Boa Vista, da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase), e coordenadora do Grupo de Trabalho de Ensino da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. 


A Atenção Primária à Saúde é o locus organizador do sistema de saúde, onde os princípios de longitudinalidade e integralidade do cuidado são colocados em prática de forma real e imprescindível. Onde também a noção de "porta de entrada" com acesso fácil dos pacientes aos profissionais de saúde faz com que a prática seja rica por um lado e desafiadora por outro, na medida em que os problemas de saúde se apresentam de forma indiferenciada em uma população muitas vezes carente de meios socioeconômicos para o pleno exercício do autocuidado. Os profissionais que aceitam esse desafio não se pegam questionando a utilidade de sua ação, pois são intensamente necessários para as famílias sob seus cuidados e para o território que atendem.

A residência de Medicina de Família e Comunidade é a residência que melhor prepara para o atendimento de qualquer pessoa, em qualquer fase da vida. É também a residência que coloca na maleta de instrumentos do(a) médico(a) habilidades de comunicação, de raciocínio e de ação em quadros agudos e crônicos. A intervenção do médico de família vai além de pedir exame e passar remédio: trabalha em equipe para agir nos determinantes das doenças, na comunidade, no território, que é o lugar real onde as coisas acontecem. E é onde os pacientes apresentam os sintomas pela primeira vez, fazendo com que o profissional da atenção primária seja aquele responsável pela investigação clínica, seguimento próximo e muitas vezes a referência central do paciente em seus cuidados de saúde. É também a residência que fornece as ferramentas para cuidar das pessoas com qualidade no seu contexto familiar, entendendo a família como recurso de tratamento dos pacientes.

A residência de Medicina de Família e Comunidade propicia oportunidade de buscar superar dificuldades específicas na formação do(a) médico(a), com estágios optativos no Brasil ou exterior. Na Faculdade de Medicina de Petrópolis/Fase, os cenários de prática incluem ambulatórios (todos com preceptoria docente), hospital e maternidade de ensino, além de equipes docente-assistenciais de saúde da família com mais de 15 anos de experiência na formação de médicos(as). Todos os preceptores do Programa de Residência de Medicina de Família e Comunidade são especialistas na área e possuem formação de curso de preceptoria, o que leva à consistência do ensino, com conteúdo teórico aprofundado e prática assistencial reflexiva.

Além disso tudo, a residência de Medicina de Família e Comunidade pontua para o acesso a outras residências (igual ao extinto PROVAB). Em Petrópolis, a atenção primária é desenvolvida sem pressa, com capacidade de ofertar cuidado de qualidade aos cerca de 2.800 pacientes de cada equipe, dentro de um sistema de saúde municipal bem estruturado.

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Academia que faz pensar


Maria Isabel de Sá Earp de Resende Chaves
Supervisora Geral da FMP/Fase


As pesquisas científicas na área da saúde avançam, ao mesmo tempo em que seguimos convivendo com problemas tão arraigados como a proliferação do mosquito Aedes aegypti. O que podemos mudar? Como tirar o melhor proveito da informação e da tecnologia sem descuidar da humanização no atendimento? Questões como essas estarão em debate no simpósio “A Academia na Serra II”, em Petrópolis, nos dias 8 e 9 de novembro.  

É com orgulho que a Faculdade de Medicina de Petrópolis/Fase receberá a segunda edição do encontro, organizado mais uma vez em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz e a Academia Nacional de Medicina. A primeira ocorreu em 2017, dentro das celebrações pelos 50 anos da criação de nossa faculdade. A ideia começou e segue sendo construída com ex-alunos ilustres e dedicados ao ofício.

Ao promover “A Academia na Serra” estamos compartilhando com essas instituições não só os nossos projetos comuns. Também mostramos aos alunos que a verdadeira ciência e a medicina se fazem com a articulação entre o conhecimento científico, as técnicas de abordagem ao paciente e a reflexão dos determinantes de saúde e da doença, que são sociais. Tudo através da efetiva parceria com o SUS, que permite o acesso da população àquilo que é mais importante para os futuros profissionais, no exercício da sua profissão.

Temos o prazer de, nesses dias, receber os mais renomados palestrantes, para apontar para os jovens e os nossos visitantes quais são as mais novas tendências na área do saber médico. Tanto na saúde coletiva, como no estudo das epidemias, nas novas técnicas de ensino e nas abordagens cirúrgicas, a partir das inovações tecnológicas.

O seminário é construído em conjunto por várias cabeças, fruto de uma mesma visão, com um comitê científico das instituições parceiras e da faculdade trabalhando junto, sempre a serviço da população, para tentar reduzir as diferenças sociais através do acesso à saúde. Buscar saídas é a meta. Porque fazer pensar – e repensar – é uma das nossas missões.

Turma de 1974

Essa semana, a FMP/Fase recebeu uma visita especial, da turma que se formou em Medicina em 1974. Na época, a faculdade funcionava na Estrada da Saudade, por isso o grupo ficou encantado com as novas instalações do Campus Barão. Os profissionais, que vieram de diferentes estados do Brasil, comemoraram 45 anos de formatura conhecendo as novidades da FMP.






Petrópolis apresenta índice com dobro da média nacional em Reconstrução Mamária realizada no SUS

O mês de outubro ganhou destaque no universo feminino com a cor rosa, ressaltando a importância do cuidado em relação à saúde da mulher. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o tipo da doença mais comum entre as mulheres no Brasil, depois do de pele não melanoma, correspondendo a cerca de 25% dos novos casos a cada ano.

Petrópolis se destaca no índice da média nacional de municípios em cirurgias de reconstrução mamária. Este ano, até o mês de agosto, 159 pacientes foram operadas, sendo que 14 realizaram reconstrução imediata e 13 reconstrução tardia.

“Desde o final de 2015, temos realizado a reconstrução imediata que hoje, sempre que possível, é o tratamento preconizado pela comunidade científica. No Brasil, este direito está previsto por lei e o procedimento está disponível para todas as pacientes tratadas no Hospital de Ensino Alcides Carneiro. O nosso índice de reconstrução imediata está o dobro da média de reconstrução do SUS. Além da reconstrução imediata, realizamos em uma segunda cirurgia a simetrização ou equilíbrio da mama contralateral, assim como as reconstruções tardias de pacientes que por alguma razão não tiveram a oportunidade de reconstruir no mesmo momento da mastectomia”, explica o cirurgião plástico Dr. João Medeiros, professor da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase).

No último dia 14, foram realizadas seis cirurgias de reconstrução tardia no Hospital de Ensino Alcides Carneiro. Cirurgiões da Universidade Federal do Rio de Janeiro foram convidados para participar dos procedimentos realizados com a equipe da Mastologia do Hospital de Ensino Alcides Carneiro, composta por professores e acadêmicos da Faculdade de Medicina da Petrópolis.

“Essa parceria entre a instituição de ensino e o Sistema Único de Saúde é muito importante para a população e também para os futuros médicos, pois participam de todas as etapas de cuidado com as pacientes em tratamento do câncer de mama, desde a prevenção primária e detecção precoce, como ações do Dia ‘D’ e capacitação das equipes da Atenção Primária, através da Coordenação de Extensão Universitária, chegando às cirurgias mais complexas, com oportunidades para os residentes, futuros especialistas terem contato com técnicas mais atuais para o combate à doença”, destaca o médico mastologista Carlos Vinícius Leite, professor da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase).

O mastologista explica que, quando possível, a reconstrução mamária é uma maneira de tentar resgatar a autoestima da mulher que passou pelo câncer de mama. A doença tem um impacto muito negativo na imagem feminina. Não é apenas lidar com o medo de não conseguir se curar, mas há todo um processo doloroso ao se olhar no espelho e ver que tudo aquilo que é próprio da feminidade, os cabelos e as mamas, pode se perder durante o tratamento contra a doença.

“Os cabelos as mulheres conseguem recompor utilizando artifícios para desviar atenção, como lenços, apliques e perucas. Mas a mama é uma situação mais delicada, mesmo com sutiãs que podem ser adaptados com prótese externa para tentar refazer o volume mamário, mas nos momentos íntimos e em locais públicos, como praia e piscina, elas se retraem devido à mutilação provocada pelo combate ao câncer de mama. Assim, a reconstrução mamária com as técnicas disponíveis e seguras para recompor a imagem feminina são importantes instrumentos para reabilitação da paciente acometida pela doença”, destaca.

Atualmente, a maior preocupação dos especialistas é a conscientização da população em relação à prevenção primária, ou seja, ações que qualquer mulher pode fazer para remover causas e fatores de risco para o câncer de mama. Os principais são: obesidade, principalmente na menopausa, Tabagismo, uso excessivo de álcool e sedentarismo. É de extrema importância ter uma alimentação saudável, rica em fibras, frutas e legumes, com redução de gorduras.

“Quanto mais cedo a detecção do tumor de mama, maior a expectativa de cura e controle. Além de evitar cirurgias mais extensas, podem ser evitados tratamentos mais agressivos com quimioterápicos. O grande motivador para toda equipe que atua diretamente no tratamento do câncer de mama no Hospital de Ensino Alcides Carneiro é estar levando à população de Petrópolis assistida pelo SUS cirurgias de alta complexidade que permitem acesso às técnicas seguras que são úteis no tratamento do câncer de mama e a oportunidade de preservar a imagem feminina resgatando a autoestima das mulheres acometidas pelo câncer”, finaliza o médico.

Fase promove II Simpósio gratuito em parceria com a Fiocruz e a Academia Nacional de Medicina


Nos dias 8 e 9 de novembro, a Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) vai promover a segunda edição do Simpósio “A Academia na Serra”, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz e a Academia Nacional de Medicina. O encontro, gratuito e aberto ao público, tem o objetivo de oferecer aprimoramento multidisciplinar para todos os profissionais que atuam na área da saúde, ressaltando a importância do trabalho de equipes multiprofissionais em prol da saúde da população.    

Paulo Saldiva, médico especialista em poluição atmosférica, o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho e o ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão estão entre os palestrantes renomados nas áreas da medicina e da pesquisa biomédica do Brasil, que já confirmaram presença no simpósio.

“Esse é um dos principais eventos da área da saúde que será promovido na Região Serrana pela segunda vez, pois conta com a participação de membros da Academia Nacional de Medicina e de profissionais de notório saber, que falarão sobre as novidades na área médica. É uma oportunidade única para todas as pessoas que atuam na área de saúde, pois haverá rica troca de conhecimentos”, explica o médico pediatra e infectologista Paulo Cesar Guimarães, diretor da Faculdade de Medicina de Petrópolis.

O evento também vai reunir residentes e alunos da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase) que vão participar ativamente do simpósio, através das ligas acadêmicas da faculdade. Temas como “Geriatria Ocular”; A Mortalidade Materna”, A Neurocirurgia”, “Breve História dos Transplantes de Face”; e Perspectivas no câncer de mama” serão abordados no evento.

“Fizemos uma programação voltada, principalmente, para os problemas brasileiros, onde podemos destacar: Atualidades sobre os vetores de arboviroses no Rio de Janeiro; A luta pelo direito à saúde; A humanização que qualifica; Autópsia minimamente invasiva; e A vacinação, conquistas e desafios na atualidade. A Academia Nacional de Medicina é um dos órgãos mais importantes da área médica e no campo acadêmico é a mais importante. Este evento ser realizado pela segunda vez na Faculdade de Medicina de Petrópolis mostra o grande valor que a nossa Instituição tem na Área Acadêmica”, salienta o médico Paulo Cesar Guimarães.

Contando com nomes do mais alto destaque da Medicina e da Pesquisa Biomédica Brasileira, os temas abordados na segunda edição do Simpósio “A Academia na Serra” darão continuidade às discussões iniciadas em 2017, durante a primeira edição que celebrou os 50 anos da FMP. A programação completa do evento, as inscrições e outras informações podem ser acessadas no site: www.academianaserra.org. 

Especialização em Dermatologia


A aluna do curso de pós-graduação em Dermatologia da FMP/Fase, Alice Guiotti de Alencar, teve seu estudo de caso premiado na reunião mensal da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Regional RJ, realizada no último dia 25 de outubro, no Colégio Brasileiro de Cirurgiões, em Botafogo. O trabalho sobre Necrose da Língua por Arterite de Células Gigantes foi o vencedor dentre os oito casos apresentados. Também participaram do estudo Cássio Battisti Serafini, Flaviana Roque Bialon Orosco, Ignacio Yañez Silva, Luiza Aguera Oliver e Marcelo Rosandiski Lyra. A especialização lato sensu em Dermatologia da FMP/Fase ocorre no Hospital Geral do Exército (RJ) e estará com inscrições abertas para sua segunda turma, a partir do dia 14 de novembro.


sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Dia Internacional do Idoso é comemorado com atividades no Ambulatório Escola

Cada vez mais a expectativa de vida aumenta. O conceito estatístico associado ao bem-estar da população é baseado em dados de acordo com diversos aspectos: poluição do local, taxa de criminalidade, violência e acidentes, condições econômicas, acesso à educação, saúde cultura etc, sendo possível fazer um cálculo médio do tempo de vida aproximado de uma sociedade. 

Atualmente, os cuidados com a população da terceira idade foram intensificados, pois a qualidade de vida e os interesses dos idosos por maior longevidade atraem os olhares e os cuidados dos profissionais de saúde. Por isso, para celebrar o Dia Internacional do Idoso, comemorado anualmente no dia 1 de outubro, a Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) realizou uma série de atividades no Ambulatório Escola, nessa quarta-feira (16). 



“Temos o desejo de trabalhar a saúde do idoso de forma integral. Nosso objetivo é trazer para essa população mais qualidade de vida, através da orientação e de encaminhamentos para as consultas com os especialistas. A pessoa acima dos 60 anos muitas vezes já não tem mais atividade laboral e se sente cansada de ficar com tempo livre em casa. Por isso, convidamos para que venha participar do grupo de idosos do Ambulatório Escola. A gente trabalha educação e saúde, atividades de lazer, passeios, orientações sobre os mais diversos aspectos da vida e do cotidiano. É um espaço importante de convivência e de troca de experiências”, destaca Lívia Firmino, enfermeira no Ambulatório Escola da FMP/Fase. 

Ao longo do dia foram oferecidas atividades relacionadas à prevenção de ISTs (infecções sexualmente transmissíveis) e sexualidade, alimentação, prática de Atividade Física, Saúde mental e física. Além disso, os idosos participaram de atendimentos para aferição de pressão e glicemia.



“É uma distração, porque a gente conhece novas pessoas, conversa sobre vários assuntos. Além disso, tem as consultas médicas e a gente consegue acompanhar com mais facilidade como está a nossa saúde”, comenta Robertina Lúcio de França, aposentada.

Ao perceber a dificuldade da população idosa, que está mais ativa sexualmente, sobre o entendimento das iniciativas de prevenção às infecções que podem ser transmitidas, a aluna de Enfermagem, Suzana Martins, decidiu usar o tema como pesquisa para aplicar no trabalho de conclusão do curso. O objetivo é aumentar o número de diagnósticos na cidade, para que sejam realizados os tratamentos adequados. 

“O meu interesse por esse assunto surgiu durante a prática em Atenção Básica da Saúde. Percebi que quando a gente falava de aconselhamento e de IST era sempre para o público mais jovem. Após várias pesquisas, notei a deficiência para se passar informações sobre as infecções sexualmente transmissíveis para os idosos. A sífilis é a mais evidente entre os casos na cidade. Apesar de muitos profissionais serem qualificados para abordar o tema, se sentem constrangidos para falar sobre sexo com os mais idosos e os pacientes, por sua vez, sentem vergonha de questionar os profissionais de saúde”, destaca Suzana Martins, aluna do 9º período de Enfermagem da FMP/Fase.

O grupo de idosos do Ambulatório Escola funciona às quartas-feiras, às 13h30, em Cascatinha. A reunião é aberta a todos os interessados acima de 60 anos. “O idoso às vezes pensa que com a idade avançada já não vai conseguir fazer mais nada. Mas aqui, a gente se exercita, conversa e aprende a fazer muitas coisas. Quanto mais a gente incentiva os idosos, mais força encontramos para poder viver com qualidade”, finaliza Joaquim Lima, aposentado e ex massoterapeuta do Flamengo.

Fase promove II Semana de Odontologia e I Meeting de Odontologia Estética de Petrópolis

A Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) está com inscrições abertas para a II Semana de Odontologia e I Meeting de Odontologia Estética de Petrópolis. Os eventos serão realizados nos dias 16 e 17 de outubro, das 08h às 17h30, no campus da faculdade. 

Prótese total será o tema de abertura do evento. Por ser um assunto que tem constante demanda da população, mas que gera dúvidas em meio aos profissionais, a palestra promete esclarecer algumas questões sobre possibilidades e limites terapêuticos. O palestrante será o Cirurgião Dentista Walter Fialho, especialista em Prótese Dentária e Mestre em Odontologia, área de concentração em Dentística. 

Várias novidades sobre a área da Odontologia serão debatidas e apresentadas durante os dois dias do evento. Entre elas, Cimentação adesiva; Antes da estética; Estado da arte em laminados anteriores (lentes de contato); O uso da odontologia digital nas reabilitações estéticas; e Restaurações cerâmicas sobre implante. 

“Integrar a comunidade odontológica à faculdade, que é um polo de produção científica onde todos colaboram e se enriquecem de conhecimentos, é a nossa proposta. Esse ano pensamos em expandir o evento de odontologia para que os profissionais da região possam ser favorecidos também com a troca de informações e a construção de conhecimentos que o evento fomenta. Atualmente, a gente percebe que muitos dentistas estão cada vez mais isolados em seus consultórios e com pouco tempo de buscar novos conhecimentos. Então, queremos que eles venham compartilhar conosco e conhecer o que há de mais moderno na área de odontologia restauradora. Por isso, montamos uma grade bem diversa, com profissionais muito qualificados”, explica o professor Rudá Moreira, Organizador da II Semana de Odontologia e do I Meeting de Odontologia Estética de Petrópolis. 

Além das palestras, os participantes também terão a oportunidade de participar de oficinas sobre “Uso dos agregados plaquetários na rotina clínica”, com Rafael Coutinho, especialista em Implantodontia, “Construindo facetas diretas com auxílio de matrizes pré-fabricadas U Venner. Uma técnica simples e eficiente”, com Luiz Schwartz, especialista em Prótese Dentária e Gestão Estratégica nas Organizações de Saúde, “Resinas posteriores: eficácia e qualidade”, com Fábio Pinheiro, especialista em Dentística e em Ortodontia, “Retentores intrarradiculares: conceito KISS ‘Keep it stupidly simple’, com Sandro Bom, mestre em Clínica Odontológica. 

As atividades serão realizadas na Sala Arthur de Sá Earp Neto e nos laboratórios de práticas odontológicas. Outras informações e as inscrições devem ser feitas no site: www.fmpfase.edu.br.

Técnicas de Negociação

Despertar habilidades básicas de relacionamento, estratégia e negociação, preparando os participantes para que sejam solucionadores de conflitos, identificando e separando pessoas dos problemas, problemas de soluções é a proposta do curso de extensão em Técnicas de Negociação da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase), que está na décima turma. As aulas serão realizadas no campus da faculdade, nos dias 09 e 23 de novembro (sábados), das 14h às 18h30. Outras informações e as inscrições estão disponíveis no site: www.fmpfase.edu.br.