quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Residência em Enfermagem Obstétrica vai reforçar Rede Cegonha


A partir de 1 de março, o sistema de saúde de Petrópolis ganhará o reforço de mais dois profissionais dedicados ao parto seguro, reforçando a Rede Cegonha. É que a Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) abriu inscrições para a Residência em Enfermagem Obstétrica, com prova agendada para 25 de fevereiro. A Rede Cegonha é uma estratégia do Ministério da Saúde que busca um novo modelo de cuidado com a saúde da mulher e da criança, com foco na atenção ao parto e ao desenvolvimento do recém-nascido até este completar dois anos.

"A residência torna-se relevante pela escassez de enfermeiros especializados no município e pela possibilidade de melhoria do atendimento ao nascimento, considerando que o enfermeiro especializado em obstetrícia é um profissional competente para auxiliar no cumprimento dos objetivos da Rede Cegonha. A residência também contribuirá como facilitadora ao acesso de enfermeiros petropolitanos à especialização na área", diz a coordenadora do Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica da FMP/Fase, a enfermeira Leila Schmidt Bechtlufft.

Segundo Leila, os egressos do curso de graduação em Enfermagem que desejam aprofundar os conhecimentos em especializações são obrigados a buscar a formação em outro município. "Isso pode inviabilizar a especialização para alguns, já que a mudança de domicílio muitas das vezes não é possível. E também pode afastar os profissionais da cidade, considerando que acabam por consolidar vínculos nos locais onde se especializam", explica a coordenadora.

A professora da FMP/Fase ressalta que a atuação dos enfermeiros na assistência pré-natal em Petrópolis é marcante, oferecendo assistência à gestante em todas as Unidades Básicas de Saúde, independentemente da presença do profissional médico na equipe, conforme comprovou pesquisa do PET-Saúde III (Ministérios da Saúde e Educação) citada por ela.

"A única maternidade que atende usuárias do Sistema Único de Saúde está no Hospital de Ensino Alcides Carneiro. Em novembro de 2015, a região serrana recebeu recursos financeiros para qualificar para a Rede Cegonha os serviços das maternidades de Nova Friburgo e do Alcides. Como consequência, foi implantado o acolhimento e classificação de risco na maternidade do hospital em março de 2016. Foram contratadas cinco enfermeiras obstétricas de fora, porque Petrópolis não dispunha de profissionais qualificados para o serviço", conta Leila.

Professor da FMP/Fase e coordenador do programa Rede Cegonha, em Petrópolis, Vander Guimarães lista outras vantagens que a abertura de vagas na Residência em Enfermagem Obstétrica trará para a Rede Cegonha, em Petrópolis e cidades vizinhas:

"Em 2017 foram realizados cerca de 3.500 partos de pacientes vinculadas ao SUS, em Petrópolis, através da maternidade do Alcides Carneiro. Embora seja um número expressivo, a cidade e a região carecem de uma cobertura mais ampliada de assistência ao pré-natal, bem como uma maior quantidade de leitos obstétricos para atender a esta demanda, que cresce anualmente. Qualificar profissionais que possam dar suporte à Rede, com melhor formação e que estejam capacitados para um acolhimento adequado, é investir na saúde das nossas futuras mamães e, por consequência, das nossas crianças”.

De acordo com o médico, além de poder ter mais profissionais na área de Enfermagem Obstétrica em uma região carente da especialidade, a residência proporcionará maior qualificação técnica dos profissionais, possibilidade de assistência multiprofissional para as gestantes e parturientes, em sintonia com as políticas públicas de Saúde da Mulher preconizados pelo Ministério da Saúde e com o cumprimento das normativas preconizadas pela Rede Cegonha na assistência materno-infantil.

"Uma das premissas da Rede Cegonha é oferecer às gestantes um pré-natal adequado e uma assistência ao parto de forma humanizada e segura. A capacitação proposta pela FMP/Fase contribuirá para trazer à cidade e região um profissional mais preparado para enfrentar esses desafios e com uma formação mais sólida para lidar com a saúde materno-infantil", ressalta Vander Guimarães.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Departamento de Comunicação Faculdade Arthur Sá Earp Neto e Faculdade de Medicina de Petrópolis