sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Aluna de Administração apresenta TCC sobre a Inclusão de Pessoas com Deficiência na FMP/Fase

A aluna Bianca Igreja, do curso de Administração, escolheu como tema de seu trabalho de conclusão de curso (TCC) a Inclusão de Pessoas com Deficiência nas Organizações, tendo como objeto de estudo a FMP/Fase.

“Inicialmente, na minha monografia eu falava sobre um outro tema completamente diferente. Foi quando, na sala de aula, discutimos certa vez sobre o tema ‘inclusão e gestão da diversidade’ e sobre como crescem cada vez mais as exigências legais e sociais para as empresas. Foi aí que me despertou o interesse, enquanto futura administradora, de saber como verdadeiramente as organizações estão se portando mediante essas exigências e essa nova força de trabalho. Escolhi a FMP/Fase pois durante os cinco anos em que a frequentei sempre me chamou muita atenção a estrutura física acessível que a instituição possui, quando comparada a outras instituições que já frequentei, como por exemplo os banheiros para deficientes em todos os andares dos prédios, mas principalmente, me chamou atenção ver tantos funcionários com deficiência transitando pelos corredores da faculdade”, comenta Bianca.

Esq. p/ dir.: Ana Auler, Bianca Igreja, Rodrigo Lopes, Luciene Baptista e Ana Carolina Chaves.


Para que todos se sintam igualmente incluídos – funcionários, alunos e visitantes – a FMP/Fase vem investindo ao longo dos últimos anos em medidas que visam proporcionar, além da acessibilidade arquitetônica, a acessibilidade pedagógica, atitudinal, digital e das comunicações. No site da faculdade, que é acessível em Libras – Língua Brasileira de Sinais –, é possível conferir todas as ações de acessibilidade promovidas pela instituição e fazer o download de uma cartilha com orientações sobre o assunto: www.fmpfase.edu.br/univ/acessibilidade

A banca examinadora do TCC foi composta pelos professores Luciene Lopes Baptista e Rodrigo Antônio Alves Lopes, que concederam nota 10 ao trabalho. Além deles, também estavam presentes a orientadora, professora Ana Maria Auler, e a coorientadora, Ana Carolina de Sá Earp Chaves, que é membro da Comissão de Acessibilidade da FMP/Fase.

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Workshop Social da Fase destaca inclusão digital para a terceira idade

Um grupo de estudantes do curso de Administração da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) promoveu, no dia 19 de novembro, o V Workshop Social, desta vez com uma atividade voltada para apoiar pessoas com 50 anos ou mais na conexão com as redes sociais e o mundo da tecnologia digital. O projeto intitulado +Conexão buscou a integração com a Universidade Aberta com a Terceira Idade (UnatiFase).




“É um projeto muito interessante, que surgiu do encontro feliz entre o curso de Administração e a UnatiFase, com a ideia não só de promover a inclusão digital dos idosos no universo da internet, onde eles puderam aprender desde a criação de um e-mail, como envio de mensagens, navegar nas redes sociais, mas também proporcionar uma troca de comunicação entre diferentes gerações. A gente espera que seja apenas o início de várias propostas para incluir as diversas gerações”, destaca Luciene Baptista, professora responsável pela Universidade Aberta com a Terceira Idade da FMP/Fase. 

Após passar pelo treinamento no laboratório de informática da Fase, com os alunos do projeto de Marketing Social +Conexão, o grupo de idosos também deixou alguns ensinamentos para os acadêmicos. “Foi muito difícil. Eu comecei devagar. Não sabia nem ligar e desligar o computador. Só conseguia fazer algumas coisas no celular. Agora, já estou conseguindo mexer um pouco no computador, consegui pegar algumas receitas de bolo. Eu gostei muito dessa oficina e da interação dos alunos com a gente”, comenta Neusa Maria Netto, aposentada de 72 anos.

“Foi uma experiência muito diferente de troca. Eu ensinei o que para mim é normal, alguns vocabulários que eu uso no dia a dia e eles não entendiam, então precisei explicar, porque para mim é tão simples, mas para quem não está habituado realmente não sabe o significado. E em troca, recebi muito aprendizado em relação à experiência de vida de cada um. Coisas que eles passaram, até mesmo por conta da idade, e que eu nem imaginava. Então, vou levar como ensinamento para a vida toda”, revela Thiago Amaral Carneiro, aluno do 5º período de Administração. 

Para orientar os idosos, os alunos do curso de Administração da Fase desenvolveram um manual contendo instruções básicas sobre o acesso à internet, como usar o navegador de busca, como entrar nas redes sociais, fazer publicações, postar fotos, fazer comentários, coisas mais rotineiras de um internauta ativo. 

“Para ser sincera eu gostei muito desses quatro encontros. Já participo aqui da academia da terceira idade e surgiu essa oportunidade da oficina de tecnologia. Eu gosto muito de mexer com essas novidades na área digital, então fiquei muito empolgada para conhecer mais. Eu assisto filmes, pego receitas na internet, me comunico nas redes sociais com amigos e familiares, aproveito bastante. Não é todo mundo que tem uma pessoa da família disponível em casa e com paciência para ensinar a usar as redes sociais. Então, esse curso me ajudou muito a esclarecer algumas dúvidas e estou feliz por estar interagindo com outras pessoas”, frisa Maria Penha Costa, aposentada de 70 anos. 

O resgate de sonhos e o estímulo à produção de obras de arte também são diferenciais do workshop social promovido pela Fase. “É muito interessante ver as pessoas gostando de algo que você produziu. Procuro passar paz nas minhas pinceladas, mais tranquilidade, com paisagens agradáveis. Meu objetivo é proporcionar bem-estar às pessoas ao contemplarem a minha arte”, explica o artista Luiz Antônio Loreto. 

E para os envolvidos no projeto, não há como expressar a gratidão e o carinho ao analisar os resultados produtivos do trabalho realizado em equipe. “Quanto mais conectado, interagindo dentro desse mundo digital, mais essas pessoas conseguem ter a chance de não ficar tão suscetíveis às doenças, estimulando hábitos mais saudáveis de convivência e também a prática de atividades físicas. Nessa edição, a gente acabou integrando com o projeto do semestre passado, que foi da comunidade terapêutica e que gerou um resultado fantástico com a produção do artista Luiz. É muito bom perceber que uma pessoa que tinha desistido de trabalhar a sua arte conseguiu reagir, se recuperar e voltar a pintar. Então, aproveitamos para fazer a rifa desses quadros, para gerar recursos e possibilitar que ele continue pintando. Percebo que a ideia de fazer os alunos sentirem que a prática agrega muitos valores ao conhecimento teórico gera resultados tão positivos, que não dá nem para mensurar”, finaliza Mônica Fontes, professora da disciplina de Marketing Social da FMP/Fase.

FMP/Fase oferece cursos de pós-graduação em Alergia e Imunologia Clínica e Dermatologia

A Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) está com processo seletivo aberto para preenchimento de vagas para os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu em Alergia e Imunologia Clínica e em Dermatologia, para o período letivo de 2020.

Os dois cursos serão realizados pela FMP/Fase em parceria com o Comando do Exército Brasileiro, tendo o Hospital Central do Exército (HCE) como Órgão de Execução, onde serão realizadas as atividades por se tratar de Serviço de Alergia e Imunologia Clínica credenciado pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia – ASBAI para ensino e pesquisa e de Centro de Serviço Dermatológico credenciado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD.

No total, estão sendo oferecidas 10 (dez) vagas para a turma de Pós-Graduação Lato Sensu em Alergia e Imunologia Clínica e o total de 05 (cinco) vagas para a turma de Pós-Graduação Lato Sensu em Dermatologia.

As vagas para o curso de Pós-graduação Lato Sensu em Alergia e Imunologia Clínica destinam-se, exclusivamente, a graduados em Medicina provenientes de cursos superiores reconhecidos pelo Ministério da Educação, que tenham concluído programas de residência médica ou pós-graduação lato sensu com carga horária mínima de 2.000 horas, em Pediatria, Clínica Médica, Medicina de Família e Comunidade ou em especialidades afins. O curso tem duração de dois anos, com o mínimo de 30 horas semanais.

Credenciado pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia – ASBAI, o curso oferece treinamento em serviço supervisionado por preceptores em todas as atividades práticas: ambulatórios de alergia geral, testes imunoalérgicos, imunoterapia, procedimentos especiais com imunobiológicos, testes de provocação e dessensibilização, e estágios em especialidades afins.

Já o curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Dermatologia se desenvolve em 3 (três) anos consecutivos, com o mínimo de 40 horas semanais, em cumprimento ao que prevê o Regimento da Comissão de Ensino da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Credenciado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia para ensino e pesquisa na área, o curso oferece atendimento supervisionado nos ambulatórios das subespecialidades e na enfermaria de dermatologia do Hospital Central do Exército/RJ. O curso conta com corpo docente de grande experiência no ensino dermatológico nacional e prepara os médicos para o concurso de obtenção do título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Os interessados devem fazer as inscrições on-line, que estarão disponíveis até o dia 13 de dezembro de 2019, no site: www.fmpfase.edu.br, onde também é possível ter acesso aos editais dos cursos. As aulas estão previstas para terem início no dia 02 de março de 2020. 

Castanha do Pará é utilizada como matéria-prima para produção de cerveja

Tipicamente brasileira, a castanha do Pará, além de saborosa, é um alimento que proporciona muitos benefícios à saúde. Também conhecida em outros países como castanha do Brasil, é a semente da castanheira do Pará, uma árvore típica da floresta Amazônica, que pode alcançar até 60 metros de atura. Em Petrópolis, a iguaria serviu de matéria-prima para produção de uma das bebidas mais amadas pelos brasileiros, a cerveja. O grupo de alunas do curso de Nutrição da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase), que decidiu colocar a semente na receita, destaca os benefícios que o produto artesanal oferece ao organismo.



“A ideia da castanha do Pará surgiu pelo fato de ela ser rica em antioxidantes, anti-inflamatórios, selênio, ômega 9, fósforo, magnésio e potássio. É preciso fazer o consumo consciente da cerveja, mas a nossa tem um diferencial do manejo artesanal e por ser composta por maltes selecionados e a castanha, que deixa o sabor mais sofisticado. Escolhemos uma cerveja belga por conta de toda a sua sofisticação e a castanha unida aos quatro tipos de maltes que nós usamos harmonizam com pratos de peixes e carnes”, explica Nicole Telles, aluna do 4º período de Nutrição da FMP/Fase.

A ideia de produzir a cerveja surgiu com a proposta do trabalho acadêmico que precisa ser entregue durante o quarto período do curso de Nutrição da Fase, chamado PCI (Programa Curricular Integrado), que neste semestre apresentou o tema Culinária de Petrópolis.

“Escolhemos a cerveja por estarmos na cidade capital estadual da cerveja. Até mesmo por conta de todos os eventos voltados para a rota cervejeira. Então, como estávamos focadas em trazer a cerveja e também um produto brasileiro, entramos em contato com a cervejaria Duranz que abraçou a nossa ideia. Participamos de cada etapa do processo de produção na fábrica e foi uma experiência única”, comenta Letícia Alves, aluna do 4º período de Nutrição da FMP/Fase.

O trabalho realizado pelas acadêmicas envolve cinco disciplinas do curso de graduação: PCI, Marketing, Bromatologia, técnica dietética e nutrição do adulto. Com o produto pronto, agora está na hora de entrar na fase de experimentação para ser inserido no mercado.

“Foi muito interessante receber as alunas de Nutrição da Fase na nossa fábrica. A receita foi escolhida de comum acordo por todos nós. Petrópolis tem essa vocação de produção da cerveja artesanal e estar recebendo alunos do meio acadêmico é um ganho mútuo. Já provamos e ficou bem interessante o sabor”, ressalta Ricardo Branco, empresário da cervejaria Dr. Duranz.

Diante de tantas novidades para as alunas do grupo, que ficaram encantadas com a produção da cerveja, a professora responsável pela atividade destacou a importância pedagógica de colocar os conhecimentos adquiridos em sala de aula na prática.

“A atividade integrada com metodologia ativa, onde o aluno tem a oportunidade de criar e elaborar, pensar e fazer realmente acontecer, faz total diferença na vida profissional. Quero agradecer a parceria da cervejaria com a instituição de ensino, pois essa atividade abre as portas de integração entre o mercado de trabalho e os futuros profissionais que estão se formando na área de Nutrição”, finaliza Cristiane Mello, professora do curso de Nutrição da FMP/Fase, responsável pela atividade. 


FMP/Fase abre concurso para Residência na área da saúde em Petrópolis

Com 60 vagas, o concurso de seleção para Programas de Residências Médica, Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase) terá as inscrições abertas de 14 de novembro a 13 de dezembro de 2019. Serão oferecidas 45 vagas para Residência Médica, 09 para Residência Multiprofissional em Atenção Básica e 06 para Residência em Área Profissional da Saúde, voltada para a Enfermagem. Os selecionados receberão bolsa auxílio do Governo Federal ou Municipal. O valor é estabelecido pelos Ministérios da Educação e da Saúde.

Os programas de Residência Médica englobam as seguintes especialidades: Medicina de Família e Comunidade (12), Clínica Médica (6), Pediatria (5), Anestesiologia (4), Obstetrícia e Ginecologia (4), Radiologia e Diagnóstico por Imagem (3), Pré-requisito em Área Cirúrgica Básica (2), Neonatologia (2), Endoscopia (2), Cirurgia Geral (1), Urologia (1), além de outras três vagas para Radiologia e Diagnóstico por Imagem - Ano adicional.

O Programa de Residência Multiprofissional em Atenção Básica oferece nove vagas ao todo, sendo 5 para enfermeiros, 2 para psicólogos e 2 para nutricionistas. Já o Programa de Residência em Área Profissional da Saúde reúne a Enfermagem em Terapia Intensiva, que dispõe de quatro vagas, enquanto a Enfermagem Obstétrica tem duas.
 
A seleção consiste em prova objetiva, que será aplicada no dia 10 de janeiro de 2020, em Petrópolis, e análise de currículo. As atividades começarão no dia 02 de março, no Hospital de Ensino Alcides Carneiro, no campus da faculdade e nos serviços conveniados, como: Hospital Federal de Bonsucesso, Hospital Universitário Antônio Pedro, Inca, Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (IECAC), Centros de Atenção Psicossocial, Unidades de Saúde da Família, dentre outras instituições.

Todos os Programas de Residência da FMP/Fase estão integrados ao Pró-Residência do Ministério da Educação e do Ministério da Saúde e contam com 10% a 20% de aulas teórico-práticas e 80% da carga horária em treinamento em serviço. As inscrições para o concurso devem ser feitas no site: www.fmpfase.edu.br, onde é possível ter acesso aos editais e outras informações sobre as provas.